Google+ minha casa, meu mundo: Abril 2010

29 de abril de 2010

Ainda customizando seu blog

Quero responder algumas perguntas que me fizeram por conta do post de ontem.

1. Como recarregar o template original quando fizemos uma besteira enorme ou não gostamos do resultado.
Bem... vocês salvaram o template como eu ensinei ontem, né? Se não salvaram não tem como restaurar.
Se foram alunas aplicadas e salvaram basta ir na aba Layout, depois Editar HTML, ir em "Faça upload de um modelo de um arquivo no seu computador", procurar o arquivo em que foi gravado o modelo e carregar.
Pronto!

2. Para colocar as guias sob o cabeçalho, sempre trabalhando no blog em rascunho, abra a aba Postagem, escolha Editar Páginas, crie as páginas que quiser, como eu fiz, "comidinhas", "tutoriais", salve e organize como quiser. Na aba Layout, Elementos de Página, arraste para colocar sob o cabeçalho ou na barra lateral.
Se quiser customizar, vá em Layout, Designer do Modelo, Avançado e configure a seu gosto em Texto das Guias e Plano de Fundo das Guias.

3. Para colocar as fotos de posts relacionados no post do dia, vá em linkwithin, preencha suas informações na caixa azul que aparece do lado direito e pronto!!! Seu rodapé estará criado!

4. Para colocar um contador de visitas on line vá em opromo e faça seu cadastro, customizando como quiser. Facinho.

5. Para colocar a caixa de comentários no corpo do post, sempre no blogger em rascunho, vá na aba Configurações, Comentários e em "posição do formulário de comentários" escolha "postagem abaixo incorporada", salve. Prontinho! e por favor desabilite as letrinhas, que desanima qualquer comentário.

6. Quer colocar um background que você mesmo criou? Faça uma imagem de 1600px de largura e 1100px de altura com a imagem que escolher. Sobre ela aplique um pano de fundo claro da largura de sua tela (onde estão os posts e a barra lateral), normalmente é 600px, faça um teste. Um bom guia é a largura do cabeçalho. Enfeite como quiser.
Daí salve em um serviço de hospedagem na net, eu indico o http://tinypic.com/. Depois de carregar sua imagem copie o código que aparece em Direct link for Layouts e cole no lugar marcado, neste Código:

<style type="text/css">body {background-image: url("coloque o código aqui"); background-position: center; background-repeat: no-repeat; background-attachment: fixed; }</style>

Vá em Layout, Elementos de Página, Adicionar um Gadget, HTML/JAVA e cole seu código, salve e pronto o fundo que você mesmo fez estará carregado.

7. Para aprender com quem entende de verdade, indico um blog que eu adoro: dicas blogger

De metida que sou (verdade???) vou dar uns pitacos:

* um blog é sempre mais fácil e agradável de ler quando o fundo da postagem é branco.

* quanto mais penduricalhos um blog tiver, principalmente coisas que piscam, mas difícil ele será de carregar. Este detalhe faz a diferença no Brasil, onde a internet é uma carroça.

* cuidado com os aplicativos encontrados na net, hacks e gadgets. Na pior das hipóteses trazem vírus, na melhor deixam seu computador pesado. Já inventei cada coisa aqui no blog e sempre me arrependi...

* cuidado com os anúncios. Eu particularmente ODEIO blogs onde existem anúncios no cabeçalho, no rodapé, na barra lateral e no meio do post! Fecho e nunca mais apareço.
Ainda mais quando o blog é sobre artesanato e aparece um banner "quem você foi na vida passada" ou um anúncio imobiliário. Tenham muito cuidado e bom senso na hora de acrescentar publicidade.
Sobre publicidade que pisca, me segue na tela ou explode em pop-up, nem vou falar.

* Se a cópia é crime, o plágio também é.
Postou uma foto ou tutorial, dê a fonte. Se o seu blog é como o meu, um grande resumo daquilo que mais gostamos na net, citar a fonte é ainda mais importante. Eu já vi gente de blogs badalados copiando tutoriais de blogs estrangeiros... feio, muito feio... como se só ela conhecesse aquele blog da Lapônia!
Nunca faça, digamos assim, uma "versão" do post alheio. Gostou do post que leu? Seja honesto, cite a fonte inspiradora e escreva o seu post, com as suas idéias e palavras. As pessoas percebem.


* Tome cuidado em ser original. Nada pior do que abrir o reader pela manhã e ver a mesma foto postada em 58 blogs de decoração... e isso acontece com mais frequencia do que se imagina.

* Pelo amor de Deus não destrua o português. Tem gente que bota fogo e apaga com o tamanco. As vezes eu fico até animadinha com algum blog, mas na terceira linha vejo um erro crasso (ex: escessão) e logo saio correndo. Não estou falando de erros de digitação, um ou outro equívoco, mas tem coisas que não dá para perdoar.

Sou chata e implicante, além de metida, mas isso vocês já sabem...

P.S. Para as queridas que mandaram feliz aniversário para a Bea, muito obrigada, ela manda beijos banguelas.
Ah, tive que levar no dentista, só precisou de xilocaína e pronto, puft, saiu o caquinho do dente quebrado e o do lado que também não queria ir embora. Agora ela diz que tem uma "caminha para a língua"... E a fada do dente foi super generosa...
Ah, e consegui mandar meu IR, tô em dia com o Leão, antes tarde do que nunca.

Beijos
Lu

...

Ontem o dia foi um caos e hoje não será diferente, meu trabalho está bombando... Para piorar eu faço parte do time que ainda não fez o imposto de renda... e hoje é aniversário da Bea... a festinha é só dia 8, mas hoje tem atenção especial..
Resultado, não tive a mínima condição de fazer um post decente!
Eu quero fazer um tutorial ensinando a fazer outras customizações no layout, respondendo as perguntas que me fizeram ontem. Acho que amanhã eu faço.
Beijos
Lu

27 de abril de 2010

Como customizar seu layout

Meu blog está de cara nova e eu estou imensamente feliz com o resultado.
Fiz tudinho sozinha, dá para acreditar?
Já me pediram para ensinar como fazer... como tudo na vida eu faço as coisas na cara e na coragem, vou tentando e se não dá certo começo tudo de novo, então vou tentar contar como fiz, se der errado não me responsabilizo, hehehe...
Durante muito tempo eu trabalhei no layout do blog mexendo no "tal" do HTML, naquela abinha "Editar Html", e não recomendo, é mais difícil que aprender o tal do photoshop... mas com o tempo fui me acostumando com aquela sopa de letrinhas e hoje eu consigo "ler" um template com bastante facilidade.
Mas o fato é que o blogger resolveu ajudar (e muito nossa vida) e está cada dia mais fácil customizar nossos templates a vontade e sem ter que mexer na tal sopa de letrinhas.
Então vamos lá:

1. Para fazer de um jeito fácil é preciso trabalhar no blogger em rascunho.
Não sabe o que é isso?
Abra seu Painel e lá no rodapé vai ter um link Blogger em Rascunho, basta clicar que no cabeçalho do Painel vai aparecer uma aba "Tornar o blogger em rascunho meu painel padrão", clica no quadradinho que tem na esquerda. Pronto.

2. Ainda no Painel, clica na aba Layout.

3. Peloamordedeus, ANTES de mexer no seu layout salve aquele que está usando. Se der tudo errado, ao menos você consegue voltar ao que tinha antes...
Na aba Layout clique em "Editar HTML".
Sobre a caixa do HTML tem uma abinha "expandir modelos de widgets", clique no quadradinho. NÃO ESQUEÇA DISSO.
Procure o link "baixar modelo completo", clique aí , baixe seu modelo e salve no seu PC!!!

4. Vá em "Escolher Novo Modelo"
Clique em Mínima.
SALVE

5. Vá em "Designer do Modelo". Agora começa a brincadeira. O meu template eu fiz como vou explicar, mas você pode escolher uma infinidade de outras possibilidades.
Clique na aba MODELO e escolha SIMPLE -
Clique APLICAR AO BLOG
Clique na aba PANO DE FUNDO e escolha SEM IMAGEM
Clique APLICAR AO BLOG
Clique em LAYOUT
Depois LAYOUT DO CORPO - escolha a distribuição que te agrada, 2 ou 3 colunas, etc e tal
Escolhe? Aplicar
Vá em LAYOUT DO RODAPÉ e escolha.
Aplicar
Vá em AJUSTAR LARGURA. O meu tem três colunas, e as medidas são:
*Todo o Blog: 1000 px
* BArra Lateral Esquerda: 210 px
* BArra LAteral Direita: 200px
Mas você pode mexer conforme o layout que escolheu. Visualize enquanto faz e escolha o que fica melhor.
APLICAR.
Clique AVANÇADO. Aqui é super divertido...
Vá clicando em todas as possibilidades para modificar cores e fontes. Não esqueça de APLICAR, senão não salva suas modificações.
IMPORTANTE: para ficar com o fundo branco como o meu, vá em PLANOS DE FUNDO e deixe branco o PLANO DE FUNDO EXTERNO E O PRINCIPAL. O PLANO DE FUNDO DO CABEÇALHO deixe transparente.
APLICAR
Eu não adicionei nenhum CSS.

5. Imagens (cabeçalho e plaquinhas das barras laterais):
Eu criei as imagens no photoshop, mas é possível carregar qualquer imagem, desde que com as medidas corretas.
Para acertar as medidas dá para usar o Microsoft Office Picture que vem com seu PC. É um editor bem simples e dá para fazer o básico. Abra a imagem, vá em IMAGEM e depois REDIMENSIONAR.
O cabeçalho tem 1000 X 217 pixels
As plaquinhas têm 171 X 71 pixels

6. Adicionar cabeçalho:

Ainda na aba LAYOUT vá em ELEMENTOS DE PÁGINA. No cabeçalho clique em EDITAR. Vai abrir uma nova janela. Clique em "em vez de título e descrição" e "redimensionar". Carregue a imagem que está salva no seu PC (não está? então faça isso). Salve.

7. Adicionar imagens na barra lateral:
Em elementos de página clique em ADICIONAR UM GADGET. Vai abrir uma nova janela. Nesta janela procure por IMAGEM e clique, daí é só carregar a imagem que você salvou. Depois arrume os gadgts como quiser.

Fácil né?

Beijos

Lu

dia das mães 2

Vamos bordar!!!




Eu não gosto muito de bordar ponto cruz, meus olhos não ajudam, mas acho lindo!!!

Beijos

Lu

26 de abril de 2010

dia das mães

Uma seleção de presentinhos para as mamães.

Carteira fofa:


AQUI
***
Um kit de primeiro socorros para viagens:


***
Um charmoso porta jóias:




***

Almofadas divertidas




***

Um jogo americano




Aliás, o blog onde encontrei este projeto, o a pretty cool life, é sensacional (como diz a Bea) e merece um longo passeio.

Beijos
Lu

25 de abril de 2010

...

Chove, chove, chove. Com direito a raios (muito) no quintal, falta de luz, Tóia quase chorando e Zahra (a cadela) desesperada tentando se esconder na despensa... A bea sequer acordou.
E eu com um preguiça atroz.
Ontem passei o dia brincando de sacrap digital na frente da lareira.
Hoje fiz galinhada, no fogão a lenha, com polenta. Comi demais e estou passando um tantinho mal.
Preguiça, preguiça, preguiça. Me programei para terminar o casado de crochet da Bea, mas não fiz nenhum quadradinho. Li 3 Magrait, amo Simenon em dias de chuva. Tomei litros de chá.

23 de abril de 2010

Os dentinhos da Bea

O primeiro dentinho da Bea caiu ontem (22-04).
Da pior forma possível, devo dizer.
Há dias dois dentinhos de baixo estão moles, mas nada de cair. Os permanentes já romperam e nada de cair os de leite.
Aí ontem ela tropeçou e bateu com a boca em um banco, cortou a boca por dentro, o queixo e um dos dentinhos quebrou!!!! Ficou um pedacinho ainda preso. Agora vou ter que fazer o que estou tentando evitar: levar ao dentista para arrancar.
Tô com tanta peninha porque ela esperou ansiosamente os primeiros dentinhos caírem (ela ´foi a última da sala) e agora isso... bem que poderia ter sido como todo mundo, amolece e cai... simples assim.
Nem quis tirar foto da janelinha, está com a boca inchada e dolorida.
Tô com tanta peninha. Ao menos a Fada do Dente foi muito generosa e deixou muitas moedas para a minha pretinha.
Beijos
Lu

22 de abril de 2010

Um avental e a América do Sul

Gostei deste avental.









***

Ainda sobre a viagem de ontem.

Quando pensamos em viajar normalmente voltamos nossos olhos para a Europa ou EUA e acabamos por esquecer que aqui mesmo na América do Sul existem destinos maravilhosos e, muito importante, baratos. De todos os nossos países vizinhos apenas o Chile não é uma pechincha porque tem a economia forte, ainda assim é mais barato do que viajar pelo Brasil.


E não é apenas pelo custo da viagem, mas pelas paisagens inacreditáveis que encontramos aqui mesmo. Os brasileiros pouco conhecem de seus vizinhos, mesmo da Argentina e Chile. Se contentam em ir até Buenos Aires e Santiago, no máximo vão até Bariloche, o que é uma pena, porque há muito mais a ser explorado.

Muito deste desconhecimendo se deve ao fato do brasileiro não ter o costume de viajar de carro, sem muita programação, ficando em pequenas pousadas ou acampando, prefere pacotes prontos. Não sei explicar isso, mas mesmo nossos vizinhos argentinos e chilenos são muito mais aventureiros do que nós e seus países oferecem uma estrutura de pequenas pousadas, albergues e campings que não existe aqui no Brasil. Há uma cultura do camping, famílias inteiras usam trailers ou barracas em suas férias e existem espaços gigantes para esta prática, inclusive com restaurantes, bares e piscina. E digo, não são adolescentes sem um tostão no bolso, como aqui, é uma cultura, uma opção.


Nós gostamos de viajar de carro, nos milhares de quilômetros que já fizemos pela América do Sul já dormimos em pequenas pousadas, em pousadas de charme, em hotéis lindos, em campings, na casa das pessoas. A viagem tem uma rota traçada desde a saída, mas nunca definimos exatamente onde vamos parar, onde vamos dormir, muito menos quando estaremos nesta ou naquela cidade. Vamos ou ficamos conforme nossa vontade, as vezes uma cidade merece mais dias do que o programado, outras menos. Para evitar surpresas, como todas as pousadas lotadas (já aconteceu várias vezes) temos uma barraca que fica no teto do carro, qualquer aperto basta pedir para parar o carro no jardim de uma casa, ou em um camping, dá para ver ela aqui:




E existem lugares como este da foto, onde só dá para ficar de barraca! Neste dia fizemos um churrasquinho e daí veio o guarda parque avisar: antes de dormir enterrem os restos, porque os pumas são atraídos pelo cheiro... Falou assim, como se isso fosse a coisa mais natural do mundo! Felizmente nosso amigo não apareceu.

Eu aconselho deixar um pouco de lado os roteiros pré-estabelecidos para se aventurar por aí. Viajar sem destino certo. Dirigindo descobrimos cidades lindas que não estão no mapa de nenhuma agência de turismo (as vezes nem estão no mapa mesmo) e que valem a estadia. As vezes um roteiro super badalado se revela uma grande roubada.

Lógico que em uma viagem destas existem percalços, o carro que estraga no meio do nada, a cidade que está completamente lotada, a estrada que é horrorosa... mas nada que um pouco de jogo de cintura não resolva. Nunca passamos perigos reais, nunca fomos assaltados, nunca sofremos acidentes, ou nada parecido. Somos muito detalhistas na organização da viagem, pensamos em cada detalhe. Levamos equipamentos completos de camping, roupas apropriadas para altitude e frio, comida, peças sobressalentes do carro. São inúmeros pequenos detalhes que definem o sucesso desta empreitada. Com o tempo já estamos tão escolado que sabemos exatamente o que levar e o que fazer. Cada país tem suas exigências para entrar, vacinas por exemplo, e sua cultura. É preciso se preparar, mas esta organização é tão divertida quanto a própria viagem.

No mais, somos muito bem tratados! Os Argentinos em especial são pessoas incríveis, param tudo o que estão fazendo para te ajudar, vão atrás de um guincho no meio da madrugada, te recebem em casa, ensinam caminhos, gostam de conversar. Não se engane com o mau humor portenho, o interior da Argentina é bem diferente! Eles são tão ou mais hospitaleiros que os brasileiros. Só não invente de falar de futebol... uma vez estavamos na estrada em dia de final de libertadores (acho que era Santos e River), nosso carro sempre tem a bandeira do Brasil e paramos em um posto para abastecer, o jogo passando na televisão. O atendente saiu ostensivamente armado e nos atendeu bufando. É pior que copa do mundo.

Como bônus especial acabamos por conhecer pessoas incríveis por estes caminhos. Normalmente europeus que estão viajando o mundo em seus caminhões adaptados ou Land Rovers. Os canadenses e os suíços adoram atravessar as Américas de bicicletas e já conhecemos vários deles. Mas poucos são os brasileiros.

Eu e o Leo temos o projeto antigo de adaptar um caminhão e viajar o mundo com ele, já temos algumas rotas traçadas. Para atravessar os continentes coloca-se o carro em navios e quando a saudade aperta deixa-se o carro em um estacionamento e volta-se de avião para sua terra. Precisa de tempo, logística e dinheiro. É o nosso projeto de aposentadoria. E não pensem que as pessoas que atravessam o mundo são adolescentes! A grande maioria tem mais de 60 anos, aposentados e com filhos criados, já conhecemos um casal de franceses de mais de 70 em Ushuaia, pessoas maravilhosas.

Que tal na próxima viagem tirar o carro da garagem e deixar a estrada te levar?

P.S: No próximo capítulo vou postar algumas imagens de Ushuaia, a cidade do fim do mundo.

Beijos

Lu

21 de abril de 2010

São Pedro de Atacama e Salar de Uyuni



Este ano vamos mais uma vez ao Atacama e desta vez vamos esticar até a Bolívia, no Salar de Uyuni,  onde céu e terra se confundem, por conta da lâmina d´água que cobre o salar:



Já visitei outros salares, menores, e a paisagem é sempre impressionante, indescritível!

A viagem ao Deserto do Atacama é uma daquelas que considero essenciais na vida de uma pessoa, porque realmente te transforma. Existem paisagens que te fazem chorar de tão belas (de verdade, lágrimas até dos marmanjos). É a natureza em estado bruto, agressivo e inóspito, nunca convidativa e acolhedora. Teu nariz sangra, sofremos com a altitude (por vezes passa de 5000 m)., a pele racha até sangrar se não cuidarmos. Não existem bichinhos fofinhos, não existem flores ou árvores. É como se você estivesse na Lua, (aliás um dos lugares mais impressionantes é chamado Vale da Lua), ou em marte onde a areia é vermelha. Se voltar para Argentina pelo Paso Sico (um dos pontos de travessia nas cordilheiras) é capaz de chorar de medo - a estrada é minúscula, o vento de mais de 80 km/h e despenhadeiros de 2000 metros, ainda não chorou? Então pense em uma carreta vindo no sentido contrário... - mas também de emoção, as vezes a areia e todo o cenário ao redor é branca, rosa, verde, vermelha, por vezes estamos na neve, as vezes no deserto... é indescritível. 

A primeira vez que estive lá as estradas eram de rípio desde Salta até o Chile, atravessávamos a cordilheira em estradas minúsculas e precárias. No deserto era possível transitar por tudo, não havia locais proibido e era só tomar cuidado com os campos minados (são vários, por conta da guerra entre Chile, Bolívia e Peru). Era comum caminhadas pelo Deserto ao pôr do sol e fogueiras durante a noite.
Hoje está tudo diferente. As estradas são asfaltadas e relativamente largas, nem é preciso um 4x4, é proibido entrar de carro ou a pé nos lugares perigosos ou mesmo nas dunas e montanhas de areia, quanto menos inventar um lual na lua cheia (uma das experiências mais loucas da vida), mas ainda assim vale a pena.

Existem inúmeros passeios possíveis. Apenas para dar um gostinho:

1. Dormir no El Tatio, local dos geisers mais altos no mundo, 5000m, e acordar a tempo de ver o nascer do sol e enfrentar temperaturas de até 25 graus negativos durante a noite:



2. Visitar as lagoas altiplanas, como a Miscanti:



3. Visitar o Vale da Lua, subir nas dunas e ver o pôr do sol mais lindo do mundo (é sério):


4. Subir o Lascar, de 5.592 m de altitude, ainda ativo (última erupção em 2006) com sua eterna fumaça. Este eu já subi!!!!!



5. Para os que têm fôlego, escalar o Ojos del Salado, o vulcão mais alto do mundo, com 6900 m de latitude, este eu deixo para quem tem pernas...


6. Visitar o Vale da Morte, pedras e sal:

Tá vendo a estrada? Antes não tinha... era bem mais legal.
***
Saindo de Curitiba são pouco menos de 3000km até São Pedro de Atacama, evitamos passar pelo Paraguai (que seria uma linha reta) e contornamos pela Argentina. É uma viagem barata, muito barata, 10 dias custa no máximo 600 dólares por pessoa. Lógico que se hospedando em pousadas muito simples, acampando e não comprando NADA pelo caminho, o que é difícil considerando que tudo na Argentina é muiiiito barato. Mesmo neste pique mochilão come-se e dorme-se  muito bem. Os passeios, se você tiver um 4x4 não são pagos, basta um bom GPS e disposição para se perder nas paisagens lindíssimas

Para quem quer uma viagem de gala, recomendo o Hotel Explora, o melhor da região e com paisagens de tirar o fôlego e 6 noites (com parte aérea) algo em torno de 5000 dólares...


Mas este não é o meu caso.

Antes de chegar a São Pedro, vale a pena dormir uma noite em Purmamarca, comprar cerâmicas maravilhosas e bonecas feitas com tecidos milenares, comer carne de lhama e descansar antes de cruzar a cordilheira.

Vamos?











19 de abril de 2010

Ainda o tempo

Hoje escrevi sobre o tempo, ou falta de. E os comentários me fizeram pensar mais ainda.
Algum tempo atrás li uma entrevista com um urbanista famoso (cujo nome não lembro) e ele disse com todas as letras que as grandes cidades não têm solução e que as pessoas deveriam voltar a morar nas pequenas ou médias. Ele tem toda razão, a qualidade de vida que temos no interior é inacreditável.

Eu morei muitos anos no interior do Paraná, inclusive em cidades minúsculas. Teve uma, Catanduvas, que nem padaria tinha, mas eu era imensamente feliz e, mais, eu tinha todo o tempo do mundo, ainda que trabalhasse muito mais do que hoje (porque não tinha assessores ou estagiários para ajudar).

Em uma cidade pequena tudo é mais simples. Começa que não tem trânsito, aliás nem mesmo sinaleiros, qualquer lugar é perto. Em menos de uma hora você passa no mercado, no banco e na farmácia, é possível fazer tudo a pé. Como não existem muitas opções qualquer compra é rápida, mesmo roupas, sapatos e brinquedos. São poucas lojas e poucos produtos e nos acostumamos a comprar o que tem e, com sinceridade, eu não sentia falta de nada.

E ninguém tem pressa... as pessoas param para dar bom dia, mesmo os desconhecidos sorriem ao passar. Todos sabem o nome de todos, quem são, o que fazem. Há tempo para uma conversa no balcão do açougue, na entrada da escola, no intervalo do café. Sempre existe uma vizinha disposta a cuidar dos seus cachorros quando você viaja e outra que te manda um pão ou um bolo fresquinhos no meio da tarde. Antes de mais nada as pessoas são solidárias.

Eu voltei para Curitiba há 3 anos e não me acostumo, não gosto e pronto. Para falar a verdade, a cidade em que nasci me engole e me faz mal. Escolhi morar na zona rural exatamente para preservar um pouco da vida que tive no interior. De qualquer forma, todos os dias eu tenho que ir até a cidade para trabalhar e este é o meu inferno particular. Mas quando estou aqui o tempo é lento, preguiçoso e as pessoas te dão bom dia ou acenam com a mão quando passamos pela estradinha. TODOS acenam, é impressionante.

Perto daqui tem um centrinho de comércio, meia dúzia de lojas, quitanda, mercadinho e farmácia. É lá que faço pequenas compras de todo dia, não gasto mais do que 30 minutos para ir, comprar e voltar. As vezes não tem o que quero, mas não é preciso mais. Uma vizinha me traz pão, a outra ovos, a outra verdura, o outro lenha. Aqui plantamos feijão, milho, abóbora, batatas, cebolas, batatas doces, morangos, couve, alface, cenoura e uma infinidade de outras miudezas. Agora descobri uma vizinha que produz orgânicos e entrega em casa. Se quiser tem leite e creme fresco, mas eu implico com o gosto muito forte.

Gosto de olhar o campo e ver sua falsa imobilidade. Todos os dias a paisagem aparentemente é a mesma, mas ela muda conforme o tempo da natureza. Há a época do milho, do trigo, do feijão. Algumas vezes, como na quaresma, as galinhas não botam e é difícil achar ovos. Quando está muito frio as vacas dão pouco leite e as verduras são difíceis de encontrar. Tem o tempo das chuvas, quando o rio alaga tudo. Tem a estiagem, quando tudo fica amarelo. Tem a época dos ventos. Aqui aprendemos quando vai chover, porque existe uma brisa e um cheiro caracterísitcos. Quando uma tempestade se aproxima os bichos ficam inquietos e os passarinhos levantam vôo, basta olhar para o horizonte para ver a parede cinza da chuva se aproximando. Quando o céu fica vermelho e as nuvens fazem cristas de galo vai esquentar e vem a estiagem. O mesmo quando a lua tem um halo. Quando venta o sul faz frio por três dias. E quando esfria e o céu fica sem nenhuma nuvem vai gear. Quando aparece a primeira flor do ipê é porque acabou a época das geadas.

Viver no campo é um eterno exercício de paciência. Aprender a esperar acalma e conforta, faz desaparecer a ansiedade, simplesmente porque compreendemos que nada pode ser como queremos na hora em que queremos. O feijão vai demorar tantas semanas para germinar, para brotar as vagens e para poder ser colhido. Tudo tem seu tempo e ele não é medido em horas, mas conforme os caprichos da natureza. Plantar uma árvore e esperar anos para ela dar frutos é uma lição que nenhuma escola pode dar aos nossos filhos. É preciso regar, cuidar, podar, olhar todos os dias e correr contar que já tem brotinhos, logo vai florescer e depois que as flores cairem virão os frutos, é preciso esperar amadurecer, ficar no ponto e então comer. Tempo...

Para acreditar que o relógio não comanda nossas vidas basta perceber que na roça o sono vem cedo, porque a noite é escura como o breu e o silêncio é absoluto, nosso corpo sabe que esta é a hora de dormir, naturalmente vamos nos acostumando a dormir cedo e acordar cedo.

Sonho com o dia em que não precise mais ir até a cidade, para nada. Este é meu projeto de vida, viver o tempo do campo, das estações, do amanhecer e do entardecer. O tempo da fome e do sono, de trabalhar e descansar, pouco importa que horas são no relógio, o que vale é o tempo que temos em nós.

Um beijo
Lu

Bolsas e alguns devaneios

Faz um tempão que não posto tutoriais de bolsas, eu adoro todos. Ao contrário do que aconselham as revistas de moda eu não dou a mínima bola para estas bolsas de marca. Gosto mesmo é de bolsa colorida, diferente e, se possível, divertida. Por isso, adoro as de tecido. E gosto também de saquinhos para carregar tralhas na bolsa ou na mochila das crianças.






***
Sobre a vida

Eu não me preocupo em ficar velha, caída, despencada e de cabelos brancos. Aliás nem tenho medo de morrer. Tenho medo, muito medo, é de ver a vida passar como em um filme do qual sou apenas telespectadora. É assim que me sinto metida nesta vida insana, regada a engarrafamentos, filas, gente mau educada, mal gosto, muitos compromissos e pouco tempo.


Não consigo entender em que momento a humanidade se enfiou nesta roubada pós-moderna, ou melhor até sei, mas tô com preguiça. O que me intriga é entender o motivo que justifica se enfiar até o pescoço nesta sandice que transformou nossa vida em um verdadeiro inferno.

Pior é ver que as pessoas nem mesmo sabem porque correm tanto e muito menos para onde vão. Apenas correm, correm, correm e chegam ao fim do dia esgotadas, caem na cama para no dia seguinte começar tudo de novo. Tudinho igual.

Me explica? Porque, juro, eu não entendo e, para mim, não faz o mínimo sentido... aliás, a cada dia tenho mais certeza de que não faço parte deste mundo cão e deveria ter nascido na Idade Média, quando nem relógio tinha e nossa vida era guiada pela alvorada e entardecer, além das orações, é claro. Eu quero viver este tempo lento, vagaroso, preguiçoso.  Não me digam que a Idade Média era a idade das trevas porque é um tremendo engano (papo da historiadora que ainda sou no fundo do meu coração).

O caso é que não aguento mais ver o mundo correr de um lado para o outro. Todos com cara de maníaco, atropelando e chutando quem tem a ousadia de caminhar calmamente e parar para olhar o pôr do sol.

Tempo é um conceito por demais relativo para ser fatiado em horas. O que é perda de tempo para alguns é deleite para outros. Uma hora pode ser longa ou curta, variando conforme o prazer que sentimos em determinada atividade. O dia não precisaria ter 25 horas se não dedicassemos as outras 24 a atividades rigorosamente irrelevantes.

Acho importante pensar no que fazemos com o tempo que temos. Parar alguns minutos para descobrir para onde estamos correndo e o que nos move.

Eu gosto de parar e observar as pessoas, na rua, no trânsito, no trabalho. E as pessoas não sorriem mais. São todas tão compenetradas na importância de suas vidas, na relevância de suas atividades, na vaidade de seu status social, na seriedade de suas responsabilidades. Mas, e sorrir? Perda de tempo.

Mas então me diga: o que é importante?

Beijos
Lu

18 de abril de 2010

Estudando

Peloamordemeusfilhinhos, abandonei o blog dois dias e estou com uma baita crise de consciência! E com medo de perder minhas fiéis leitoras... jura que você não me abandona?

O fato é que fiquei nos últimos dias estudando o tal do photoshop. Juro. Estudando é a palavra, comprei dois livros e me dediquei.

A vida inteira eu fui uma aluna aplicada e sempre acreditei que podemos aprender qualquer coisa em livros, qualquer coisa. Então quando quero saber de algo novo a primeira coisa que faço é ir em uma livraria. Até hoje nunca me decepcionei. E posso dizer que o estudo rendeu, já sei mais de photoshop que o Leo, fotógrafo e usuário do programa há muitos anos! Estou bem feliz com meus progressos. Lógico que falta muito o que aprender, porque tem coisas que simplesmente estão fora da minha compreensão... mas eu faço, erro, faço de novo, um dia acerto.

Agora estou fazendo dois álbuns, um para a Bea e outro com as fotos de uma viagem que fizemos de carro pela Patagônia e Terra do Fogo, até Ushuaia.

Uma amostrinha do álbum da Bea:


Eu tenho aprendido muito na internet. Não existem muitos blogs nacionais sobre o tema. Ou melhor até existem, mas os que fazem tutoriais e dão dicas são poucos. Olha, se reclamamos da turma do artesanato, a turma do scrap é ainda mais fechada. Mas aprendi muito com o pessoal do Scrapkut, do Scrablog e do Digiscrap4all, que são ótimas!

Este post do Scraptub tem uma lista de dicas e tutoriais que é tudo para quem não sabe nada.

Para baixar os papéis e elementos que compõe as páginas do scrap existem milhares de blogs e sites, principalmente estrangeiros (o que não é novidade), que fornecem tudo de graça, basta baixar e agradecer! O DigiScrapDepot é uma central dos freebies e lá encontra-se tudo que se quer na vida, é uma loucura, acho que dá para navegar uma semana sem parar.

Existem muitas lojas que vendem kits e demais acessórios. Eu quis testar em uma loja nacional e não gostei:

1. apesar de relativamente baratos, os kits não tem diferencial em relação aos freebies, se você quer um determinado estilo é só fuçar que encontra. A não ser que você queira "aquele" não me parece vantajoso comprar.

2. sua compra vem disponibilizada em arquivos no site da própria loja, cujo servidor evidentemente não aguenta o tranco e baixar os arquivos que você COMPROU e PAGOU é uma epopéia irritante! E olha que eu não baixei aqui da roça não, usei a banda larga do trabalho (feio). Mesmo assim já desisti de baixar dois arquivos porque não aguento mais, perco dinheiro mas não vou perder meu tempo.

3. escrevi para a loja e as duas primeiras respostas foram mal educadas, dizendo que o problema era de conexão e instabilidade da rede. Insisti que o problema era no servidor deles, daí a resposta foi mais educada e admitiu que estão enfrentando problemas técnicos. Bem, me parece que este fato deveria ser informado ANTES de fazermos nossas compras, tipo: Nosso servidor não aguenta o tráfego, então baixar os arquivos pode ser demorado ou talvez impossível... E a solução do problema é simples: mandar os arquivos para o e-mail do comprador, daí quem tem que se virar com a conexão é quem comprou.

Juro que semana que vem volto com a programação normal, falando de casa e nossos queridos tutoriais.

Beijos

Lu

14 de abril de 2010

Bolinhas

Ai meninas, eu sei que este papo de scrapbook já cansou, mas eu tô tão feliz com meus resultados!!!

Olha só o que fiz:

Para quem pediu: infelizmente eu não sei nadica de nada não do photoshop, vou na tentativa e erro, pesquisando na internete. Dá errado, começo tudo de novo. Então não tenho a mínima condição de fazer um tutorial, porque perigava dar tudo errado!!!!

Aconselho pesquisar no google, tem muitos sites bacanas de sacrapbook digital e sobre photoshop. É assim que estou aprendendo, cada efeito uma pesquisada... não é mole não!


***

Respondendo:
1. A MAC de Curitiba fica no Shop Mueller, na Candido de Abreu.
2. Vou fazer um post sobre o que eu uso todos os dias.
***

Minha filhota é lindona, né...


***

Beijos

Lu

alguns tutoriais

 

 

Este eu acontrei AQUI

 

Este é para quem gosta de grandes aventuras. AQUI

 

imagem

Este é para aquelas, como eu, que não vive sem maquiagem e carrega uma necessaire gigante na bolsa. AQUI

***

Por falar em maquiagem…

Que eu sou louca por maquiagem vocês já sabem.

Eu não vou ao salão, não uso botox, não pinto os cabelos e tenho horror a cirugia plástica. Mas vou dizer, sem maquiagem eu não fico. Acompanho váaariiioooss blogs sobre o assunto e vejo tutoriais para aprender a fazer esta ou aquela maquiagem e com o tempo acabei ficando razoalvemente boa no assunto.

Daí que de tanto ouvir falar dos produtos da MAC estes dias resolvi entrar na loja que tem aqui em Curitiba. Enlouqueci, é só o que posso falar. Gente, já tinha lido a respeito, mas a qualidade é algo inacreditável e a variedade de cores faz você SURTAR!

Por exemplo, são tantos os tons de base que é simplesmente impossível você não achar um exatamente do tom da sua pele. E isso é fundamental, porque se alguém elogiar sua base é porque é da cor errada, e vá correndo lavar o rosto! Base perfeita desaparece, funde com sua pele, e foi isso que encontrei lá: a base perfeita, o maior dos tesouros!

Sem falar que existem bases para todos os tipos de pele e coberturas que se queira. Eu tenho a pele super oleosa e achei uma que seca tudinho… sem falar em um pó chamado blot, que na verdade nem tem cor, mas que não deixa sua maquiagem escorrer de jeito nenhum. Eu saio de casa e quando volto a pele continua perfeita e linda!

Ah, e aprendi que base se passa com pincel, fica perfeito.

Vou dizer, custa os olhos da cara, mas vale cada centavo investido.

Beijos

Lu

13 de abril de 2010

Sumida

Vocês viram que ontem teve um post pobrinho, mas eu tô tão animada com o tal sacrapbook digital!! A Cláudia Ramalho do Feito à Mão (se você não conhece corre lá, é um dos blogs que eu mais gosto de ler!) inventou de me dizer que eu deveria tentar usar o photoshop para fazer minhas próprias páginas, do jeito que eu queria…

E eu resolvi que ia aprender, e quando eu coloco uma coisa na cabeça, sai de baixo. Passei o domingo todo nesta função e ontem cheguei do trabalho e fiquei até tarde da noite fuçando na net, apreendendo com os tutoriais da turma do scrap! Mas ao menos consegui entender como funciona este programa que é um bicho de sete cabeças… de verdade! Lógico que apenas sei os comandos mais simples, mas com o tempo vou pegando o jeito.

O pior é que o Leo domina o photoshop, mas para as necessidades dele como fotógrafo e não sabe nadinha das funções usadas no scrap, então eu perguntava e ele me olhava com aquela cara: não sei do que você está falando…

Mas depois de muito pesquisar e trabalhar eu consegui fazer uma página, com minhas próprias mãozinhas:

primeiro lay 12-04-10 cópia

Eu sei que é simplinha, simplinha. Mas o tal photoshop não é bolinho não!!! E eu só tinha um kit de enfeitinhos baixado, então foi isso que deu para fazer. Mas vou treinar bastante para conseguir domar o monstro!

A Cláudia tá passeando com o maridão e só volta em duas semanas, até lá vou ser uma aluna aplicada e quando ela voltar vai se orgulhar de mim!!!!! Hehehe

Beijos

12 de abril de 2010

Bom Dia

Este tutorial é para quem, como eu, perde as agulhas pela casa. AQUI

O dia hoje está lindo, não muito frio e com o sol brilhante!
Beijos
Lu

11 de abril de 2010

Scrapbook digital

Ontem fiquei de mal com o blogger que resolveu ter TPM e não carregar minhas fotos. Mas este problema eu resolvi usando o Windows Writer que já tinha instalado, mas raramente usado, dica da Cláudia Ramalho.

Uma coisa leva à outra, sei lá como, e acabei pesquisando sobre scrapbook digital, que adoro, mas sou uma anta no tal do Photoshop, o Leo usa como se fosse o word e eu não consigo fazer NADA! Acabei descobrindo dois programinhas muito simples de usar e que quebram um galho. Lógico que não é a mesma coisa, mas para mim tá ótimo.

O primeiro foi o Smilebox, que é um programinha realativamente antigo mas que é uma delícia e super fácil de usar! Ele já vem com as páginas de scrap prontas e basta adicionar suas fotos. Mas existem milhares de opções, uma mais linda que a outra, inclusive para convites, cartões, calendários. Há uma versão gratuita e outra paga, como sempre. A gratuita te permite salvar as páginas no próprio programa e/ou enviar por e-mail. A paga te permite gravar como quiser, imprimir, etc e tal, mas o preço é razoável, U$ 39,00 por um ano de uso.

Eu fiz minhas páginas, usei o print e colei no Paint, daí recortei e salvei, ficou bem fofo e com boa resolução.

Um exemplo do que fiz ontem (tô apaixonada)bea 3 anos

bea com sorvete

Daí usando um outro programa  o PhotoScape, facinho e em portugês, eu fiz isso:

bea com sorvete

Para mim que sou uma retardada nessas coisas, o resultado tá excelente!

Vou treinar mais um pouquinho para arrasar!!! Hahahaha.

Beijos

Lu

10 de abril de 2010

ajuda

Estava escrevendo um post, mas não consigo mais carregar imagans do meu computador, quando clico em inserir imagem aparece apenas as opções do próprio blog, do álbum do Picasa e de URL!
Como resolver isso? Alguém sabe?
Beijos
Lu

9 de abril de 2010

Da série: sonhar não custa nada

Mas quando eu crescer e for chic, chic de verdade, vou morar na Île Saint Louis em Paris, meu apartamento será assim ó:










Estas imagens são do maravilhoso brabourne farm









Estas imagens encontrei no google e salvei sem créditos.

***
Eu amo Paris e a Île Saint Louis certamente é o lugar mais charmoso desta cidade maravilhosa. Se não der para morar no sul, aceito de bom grado uma mansarda com vista para o Sena...
Bom dia a todos e que nosso fim de semana seja maravilhoso!

8 de abril de 2010

Da série: sonhar não custa nada...

Quando eu for morar na Provence ou na Toscana (ainda não decidi, hehehe) minha casa vai ser assim ó:
















É apaixonada pela Provence ou pela Toscana como eu? Visite o maravilhos La Maison de Lilas e passe o dia suspirando e perguntando porque existem tantas pessoas tão felizes no mundo...
Inveja branca.

Eu simplesmente amo a Provence com todas as forças do meu ser, gosto do clima, da paisagem, da arquitetura, da decoração, da comida, das feiras, das pessoas... Amo!

Mas a Toscana divide o  meu coração... dúvida cruel... ainda não me mudei porque não consigo escolher. É um drama que atormenta o meu ser e me paralisa... então fico aqui na roça passando frio...
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Sonhar não custa nada, ainda bem!!!!
Beijos
Lu

7 de abril de 2010

Idéias Mil e o Frio

Mais favoritos!

Uma cúpula de abajur feita de babados, AQUI


***

Cestos de barbante, AQUI


***

Um tapete de retalhos, AQUI

***
Coelhos fora de época, AQUI

***
Ainda sobre o frio.
Fiquei animadíssima porque recebi convites para lugares lindos e quentes! Não me convidem que eu vou!
Eu bem sei que a maioria gosta do frio e que é mais confortável e até mais bonito. Qualquer um fica elegante com uma roupa que lhe cubra o corpo inteiro, inclusive eu, hehehhe.
Eu morei 10 anos no interior do Estado, em cidades muuuito quentes, como Medianeira, Foz e Campo Mourão, já enfrentei dias de 50 graus e sei bem qual é a sensação de derreter e não ter ar para respirar de tão abafado.
Mas eu prefiro, juro que prefiro! Adoro o sol brilhando! Adoro andar de alcinhas e rasteira! Adoro quando chove e não esfria! Adoro tomar banho e dormir com o cabelo molhado no travesseiro e o ar ligado, sem medo de pegar uma pneumonia! Adoro ir na piscina de noite! ADORO!
Uma coisa é uma brisa de 15 graus, quando nem precisa casaco. Outra bem diferente é levar as crianças para a escola com geada e - 5 graus, ou acordar com o encanamento do aquecedor estourado pelo gelo (como já aconteceu duas vezes aqui em casa)! E Curitiba apesar do clima de hemisfério norte não é preparada para o frio, não existe calefação em lugar algum, nem mesmo na minha casa (o orçamento ficou em R$ 81.000,00 e rapidamente foi vetado), então passamos frio de verdade! Tenho 4 lareiras e um fogão a lenha, mas não são suficientes.
Para piorar, como muitas sabem, eu tenho artrite, então inverno é sinônimo de dor, eu literalmente sinto frio nos ossos...
E a Camila confirmou o que penso: Palmas é mais quente que Cuiabá!!!!! Ô delícia!
No entanto, uma coisa é verdade: eu amo maquiagem e por aqui ela não derrete jamais! O que é de extrema importância para quem tem pelo oleosa como eu!!!!!!!!!!
Mas como bem disse a Karina, eu não posso deixar minha terra. Nasci e cresci em Curitiba, aqui está minha família e meus filhos, meus amigos e tudo que há de mais querido para mim. No mais, não quero deixar meu trabalho, porque não existe a possibilidade de remoção para Palmas-TO. Então minha vida é aqui e é aqui que vou viver, ao menos até criar os filhos e me aposentar (falta um "tantinho" ainda...). Porque meu plano B envolve derreter de calor até o fim dos meus dias, hahahaha!
Mas tenho direito de reclamar, né?
Sabe o que eu acho luxo do luxo? A tia de uma amiga, que é riquíssima e tem casa no sul da Itália, então a vida dela só tem verões, quando chega o inverno em um dos hemisférios ela parte para o outro. Lógico que ela não trabalha e nem tem filhos...
Sonha Luciane.
Acho que nas próximas férias vou fazer um tour pelo Brasil, aceitando os gentis convites que recebi, me aguardem. Posso levar a família? Somos seis! KKKKKKKKKKKKk
Beijos e agora, na roça, são 7 graus.
Lu


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ShareThis